Parcerias

04 maio 2011

Classico e manchente no jornais espanhol pela arbritagem



O Real Madrid bem que tentou, mas não conseguiu superar o Barcelona nas semifinais da Liga dos Campeões. Desde 2007 sem marcar no Camp Nou, a equipe da capital espanhola conseguiu fazer um gol, além de outro anulado em lance polêmico (confira o vídeo ao lado), mas precisava de três. O adeus foi honroso, como publicou o diário "Ás" em sua manchete, mas a arbitragem voltou a ganhar destaque nos veículos espanhóis e entre os próprios jogadores após a partida.

Depois da expulsão de Pepe no jogo de ida das semifinais, no Bernabéu, que gerou revolta no técnico José Mourinho, foi a vez de um gol mal anulado de Higuaín causar polêmica, agora no Camp Nou.

Logo com um minuto da etapa final, o atacante recebeu passe de Cristiano Ronaldo, que foi derrubado e caiu por cima de Mascherano. Na sobra, o argentino abriu o placar para o Real, mas o belga Frank de Bleeckere invalidou o gol e recebeu muitas críticas durante e após o jogo. O goleiro Casillas não se conformou com a eliminação.

- Me lembro da partida de ida. Se tivesse acabado em zero a zero, e aqui o resultado fosse 1 a 1, teríamos conquistado a vaga. Jogando contra onze, em Madri, não tivemos dificuldades. Mas estamos orgulhosos por ter lutado até o final. O gol do Higuaín foi mais um lance em que fomos prejudicados, como sempre - lamentou.

reprodução Marca gol anulado Real Madrid (Foto: Reprodução / Marca.com)

 Nos jornais, mais críticas. No "Marca", a manchete dizia: "O juiz prejudicou claramente o Madrid quando o jogo ainda estava zero a zero. Anulou um gol legal de Higuaín por conta de um tropeço de Cristiano em cima de Mascherano". O "Ás" também reclamou: "Polêmico gol anulado de Higuaín". Até mesmo Jorge Valdano, diretor de futebol do Real, esbravejou contra a arbitragem.

- Fou uma partida intensa, muito disputada, onde as duas equipes buscaram a classificação. Deu Barcelona e parabenizamos o clube pela vaga na final, mas lamentamos o fato de termos que dizer que foi tudo decidido pela arbitragem, tanto no primeiro jogo como hoje - disse.

Vale lembrar que Frank de Bleeckere já havia sido citado por Mourinho antes da partida, por ter dado cartão vermelho ao volante Thiago Motta na semifinal da Liga dos Campeões no ano passado, quando Mourinho comandava o Inter de Milão, que apesar disso, conseguiu superar o Barça e acabou conquistando o título.

0 comentários:

Postar um comentário